top of page
  • Foto do escritorPaulo Markun

Velhos reagem melhor ao estresse durante a pandemia, revela estudo canadense

Atualizado: 18 de jun. de 2023

Uma pesquisa realizada entre março e abril nos Estados Unidos e no Canadá, com 776 adultos entre 18 e 91 anos revelou que os mais velhos enfrentam melhor os estresses provocados pela pandemia do coronavírus.

O doutor Patrick Klaiber e seus colegas do Departamento de Psicologia da Universidade de British Columbia, em Vancouver, no Canadá, submeteram os participantes a dois questionários diários – pela manhã e à noite - em que deveriam listar seus sentimentos diante de questões específicas como o medo de ser contaminado, fracassos profissionais e outros fatores de stress.

Os resultados, informaram os pesquisadores no Journal of Gerontology: Psychological Sciences repetiram o que já ocorrera em pesquisas anteriores sobre estresse e reação individual: gol dos velhinhos.

Para o doutor Klaiber, o estudo fornece novas evidências de que adultos mais velhos são emocionalmente resilientes, apesar de serem mais vulneráveis à Covid-19. “Também descobrimos que os adultos mais jovens correm maior risco de solidão e sofrimento psicológico durante a pandemia".

Nas primeiras semanas da pandemia, os adultos mais velhos apresentaram um bem-estar emocional melhor e reagiram menos aos fatores de estresse, ainda que não tenham se diferenciado dos mais jovens diante das ameaças emocionais da Covid-19. Além disso, os mais jovens se beneficiaram mais dos eventos positivos.

A vantagem a favor dos mais velhos avalia o doutor Klaiber, pode estar relacionada a diferenças nos motivos causadores de estresse, de acordo com a idade: "Os adultos mais jovens e de meia-idade enfrentam desafios relacionados à família e ao trabalho, como trabalhar em casa, educar em casa e desemprego. Eles também são mais propensos a experimentar diferentes tipos de estressores não-pandêmicos do que os adultos mais velhos, como conflitos interpessoais".

E o psicólogo formado em Berlim segue: "Enquanto os idosos enfrentam estressores, como taxas mais altas de contração da doença, complicações graves e mortalidade por Covid-19, eles também possuem mais habilidades de enfrentamento para lidar com o stress da pandemia”.

Os pesquisadores esperam que suas descobertas ajudem a informar o desenvolvimento de programas e estratégias para melhorar a saúde mental de adultos de todas as faixas etárias.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Inteligência artificial em 2011

O texto abaixo escrevi para a coluna Penso, que mantive por curto período no Diário Catarinense. É de 2011. Ainda atual, acho. Nos dias 14, 15 e 16 de fevereiro, a televisão americana apresentou uma u

Comments


bottom of page